Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os (meus) recortes...

Para uma imensa minoria...by Bastião

Os (meus) recortes...

Para uma imensa minoria...by Bastião

Talvez um pouco parcial.
Totalmente pessoal.
Eis os Meus Recortes...

Depois da intervenção do ano anterior na limpeza da vala que acompanha a Rua do Ramalheiro, surgiram danos que é necessário reparar com brevidade.

Ao passar neste local, é possível observar que uma pequena parte da berma já desmoronou.

Como até à data o tempo de chuva ainda não se fez sentir, os danos no pavimento ainda são pouco visíveis, mas se a chuva aparecer em força, como aliás é ansiada, há probabilidades da rua ser parcialmente interdita a trânsito.

Afirmam alguns moradores que a referida vala foi limpa com recurso a uma máquina retroescavadora e, como tal, talvez por descuido, terá sida exagerada a profundidade final.

Neste sentido, é unânime concluir que há necessidade por parte das autoridades competentes em se inteirarem da situação para proceder a uma correcção/reparação.

O Jornal da Bairrada publicou na sua edição impressa de 29 de Março passado, na rubrica “Bairradinos no Mundo”, um artigo da responsabilidade da jornalista Oriana Pataco, que dá a conhecer Cristina Dias Resende, natural de Nariz, que actualmente vive no Reino Unido.

No trabalho apresentado, Cristina Resende conta os motivos que a levaram a trocar a sua terra natal, por algo novo e desconhecido, sempre com vista a melhorar a qualidade de vida dos seus. Relata ainda as dificuldades inerentes à vida de emigrante.

Ao afirmar “aqui já estou em casa”, Cristina explica e argumenta a evolução positiva que a sua vida está a ter desde que saiu de Nariz.

O Portal de Nariz agradece à jornalista Oriana Pataco a cedência do artigo aqui apresentado.

A ADNariz jogou hoje a 24º jornada do campeonato da A.F. de Aveiro - 2ª Divisão Série C – Época 2011/2012. Neste encontro, a ADNariz a ocupar teimosamente o último lugar na tabela, recebeu o Carregosa, equipa que se posicionava no antepenúltimo lugar. Findos os 90 minutos, os homens de Nariz apesar de terem marcado 2 golos, não conseguiram escapar à derrota por 2 -4, que os mantém em último lugar enquanto que o Carregosa sobe um lugar na tabela.

A 2 jornadas do fim, a ADNariz teima em não aumentar a pontuação, “contentando-se” com 2 pontos adquiridos à custa de empates, já lá vão uns meses…

No próximo jogo, dia 15 de Abril, os homens de Nariz deslocam-se a Bustos para o penúltimo jogo do campeonato. Força ADNariz.

Lisboa, no Rossio, 31 de Março de 2012. Aqui se concentraram, segundo os meios de comunicação, mais de 200 mil pessoas. O grupo que partiu de Nariz, viajou mais de 200 quilómetros para aí defender uma causa: a continuidade da freguesia de Nariz.

Isabel Parente, nariense de gema, ligada a várias causas em prol da freguesia de Nariz, fez parte da comitiva. A convite do Portal de Nariz, Isabel transcreve nas linhas seguintes o ambiente que se viveu neste dia. O futuro ditará o fecho deste “elenco”.

NARIZ ESTEVE PRESENTE NA GRANDE MANIFESTAÇÃO NACIONAL
PELA DEFESA DA NOSSA FREGUESIA NO DIA 31 DE MARÇO

Em defesa da nossa freguesia, marcou presença um grupo de 55 narienses, residentes em Verba, Vessada e Nariz, que com um sorriso nos lábios embarcaram, pelas 7h30, num autocarro disponibilizado pela Junta de freguesia, para uma longa jornada rumo à capital para aí manifestarem o seu amor à terra que os viu nascer.

Pelas 11h30, chegamos à capital, onde o mar de gente oriunda das freguesias de Norte a Sul do País, iam ocupando as ruas da grande cidade. Parámos então no Parque das Nações para aí almoçar. Cada um com a sua lancheira repartiu o seu almoço, oferecendo a todos um salutar convívio, demonstrativo da camaradagem existente entre os seus conterrâneos.

Às 13h30 horas rumamos então ao Parque Eduardo VII, para dar início à grande manifestação, percorrendo até às 18h30, a Av. Fontes Pereira de Melo, Av. da Liberdade, Marquês de Pombal e Rossio onde terminou a manifestação.

Os narienses, juntaram-se a mais de 300 mil pessoas numa grande manifestação de cor e cultura, erguendo com orgulho a sua bandeira dizendo que “NARIZ DIZ NÃO À FUSÃO” e pediu que “NÃO NOS TIREM A NOSSA IDENTIDADE”.

Mas a caminhada ainda não tinha terminado. Calcorrear mais alguns quilómetros para encontrar o autocarro, a nossa última missão, que nos traria de volta à nossa terra. Caminhamos então sem perder a vontade de lutar, desde o Rossio, Terreiro do Paço até para além de Santa Apolónia.

Ao fim de 5 horas de caminhada e mais de 20 km percorridos, partimos então rumo a Nariz, após uma bucha, pois o esforço abriu o apetite.

Tudo correu bem. O dever foi cumprido. Alguns diziam em tom de desabafo “ será que o nosso esforço valeu para não perdermos a nossa freguesia”?

Eu espero que sim. Que os nossos governantes, ao serem confrontados com esta grande massa humana que ama a sua freguesia, recuem neste grande erro que é, e que em nada beneficia as populações nem o País.

Quero deixar aqui um muito obrigado a todos os narienses que quiseram participar nesta luta, pela grande resistência física, pela camaradagem que demonstraram e pela boa disposição com que nos brindaram e ainda por amarem a sua freguesia.

VIVA NARIZ.


Pág. 3/3

Os (meus) Recortes ®
António Bastião / 49
Nariz / Aveiro / Portugal
abastiao@hotmail.com
* Site otimizado para smartphones *